Publicado por: kleberboelter | 29/12/2008

Deus está morto?

“Nunca ouviram falar do insensato que acendia uma lanterna em pleno dia e corria pela praça do mercado gritando sem parar:

“Procuro Deus! Procuro Deus!”.

E como havia ali muitos daqueles que não acreditavam em Deus, ele provocou grande riso.

“Ter-se-á afastado”, dizia um. “Ter-se-á perdido como uma criança?”, dizia outro. “Estará escondido? Terá medo de nós? Terá embarcado? Terá emigrado?” – assim gritavam e riam todos ao mesmo tempo.
 
O insensato saltou no meio deles e trespassou-os com o olhar.

“Onde está Deus?, exclamou, “é o que vou lhes dizer! Nós o matamos – vocês e eu! Nós todos somos seus assassinos! Mas como fizemos isso? Como pudemos esvaziar o mar? Quem nos deu a esponja para apagar o horizonte? Que fizemos para quebrar a corrente que ligava esta terra a seu sol?… Aquilo que o mundo possuía até então de mais sagrado e mais poderoso perdeu seu sangue sob nossas facas – quem limpará esse sangue de nossas mãos?”.

Friedrich Nietzsche, A gaia ciência, aforismo 125.

Anúncios

Categorias